LAMINA | MEDICINA DIAGNÓSTICA

A maioria dos exames
laboratoriais não
precisa de jejum.

Aproveite para fazer as coletas em horários mais flexíveis, como durante a tarde ou no fim do dia. Consulte sempre seu médico previamente e caso tenha alguma dúvida consulte nossas perguntas mais frequentes:

Por que houve a necessidade de atualizar e/ou criar o consenso?

A necessidade veio com a confirmação de que os níveis de triglicérides elevados depois da alimentação aumentam o risco cardiovascular. Com isso, a cardiologia clínica passou a considerar esse tipo de teste como um “novo parâmetro” para avaliar o risco do paciente a desenvolver doença cardiovascular. Eles demonstraram não ter alterações significativas no exame de triglicérides entre os grupos de pacientes com jejum, quando comparados com os pacientes sem jejum prévio – em adultos, crianças e adolescentes. O maior benefício dessa atualização é para os pacientes diabéticos que ficam em risco de hipoglicemia, assim como para gestantes, idosos e crianças.

Por que o consenso está sendo divulgado amplamente somente agora?

O consenso só foi liberado no final de 2016 porque estava aguardando a atualização da Diretriz de Dislipidemias da SBPC, que contempla a Avaliação Laboratorial do Perfil Lipídico e a Avaliação Clínica das Dislipidemias.

Os laboratórios são obrigados a seguir a Normatização?

Não. Trata-se apenas de recomendações, cada laboratório decidirá o que fazer com essas novas solicitações.

Quem são os mais beneficiados pela flexibilização do jejum?
Por exemplo, os diabéticos são beneficiados de qual maneira?

Todos se beneficiam. O paciente que não precisa mais passar pelo desconforto de ficar 12 horas sem comer, principalmente aqueles mais sensíveis – como é o caso dos diabéticos que usam insulina. Outros grupos que acabam sendo passíveis de intercorrências são as gestantes, crianças e idosos.

Houve redução de tempo de jejum para quais exames?

Neste consenso houve a dispensa do jejum para o perfil lipídico, que engloba o Colesterol Total (CT), LDL-C, HDL-C, não-HDL-C e o Triglicérides (TG). Se o exame não necessita de jejum, e o médico pede para fazer sem alimentação prévia, o que o paciente deve fazer? Seguir a recomendação do médico.

Se o médico solicitar a avaliação do perfil lipídico com jejum e o paciente não fizer o jejum, como o laboratório deve proceder?

O paciente está indo contra a orientação do médico que solicita o exame. Tentar o contato com o médico e discutir pontualmente o problema.

Quais são os casos em que o jejum deve ser mantido, mesmo que sejam exames para avaliação do perfil lipídico?

O médico é quem deverá avaliar os casos em que pode ainda ser necessário o jejum prolongado para esses exames.

Quais os exames podem ser realizados sem jejum? E quando houver um pedido de exame de radiologia no mesmo pedido?

Sempre o laboratório irá seguir as orientações do médico solicitante. São poucos os exames que necessitam de jejum atualmente. Quando for realizar exames de radiologia no mesmo momento, as instruções de preparo destes deverão ser seguidas. Abaixo, apresentamos a lista atualizada dos exames que exigem jejum específico:

EXAMES QUE PRECISAM DE JEJUM

4h

Proteína ligadora de IGF
Polipeptídeo pancreático

6h

Homocisteína
Haptoglobina

8h

Peptídeo C
Tolerância à lactose
Tolerância à glicose
Ácidos graxos de cadeia ramificadas
Vitamina B6
Absorção de xilose
Vitamina C
Glicemia

12h

Gastrina
Adiponectina
Ácidos graxos
Ácidos graxos de cadeia longa
Absorção de triglicérides

Qual o motivo que devo informar o horário de minha última refeição no atendimento?

A recomendação do consenso brasileiro é que a avaliação do valor do perfil lipídico seja realizada juntamente com o estado metabólico do paciente. Desta forma, a liberação do tempo de jejum no laudo é uma forma de auxiliar o médico na interpretação do exame.